O sabor junino

A pamonha é tradição na culinária junina

Miriam Lins
7 período de Jornalismo

O mês de junho está chegou e com ele o São João, festa tradicional no calendário nordestino. Muitas pessoas não conhecem como surgiu o São João, suas danças e principalmente sua culinária, que traz o milho como ingrediente principal.

Na Europa antiga, bem antes do descobrimento do Brasil, já aconteciam festas populares no mês de junho, as quais marcavam o início da colheita. Nelas, ofereciam-se comidas, bebidas e animais aos vários deuses em que o povo acreditava. As pessoas dançavam e faziam fogueiras para espantar os maus espíritos.

Tais celebrações coincidiam com a festa em que a Igreja católica comemorava a data do nascimento de São João, um anunciador da vinda de Cristo. Como o catolicismo ganhava cada vez mais adeptos, nesses festejos acabou se homenageando também São João. É por isso que no início as festas eram chamadas de joaninas, e os primeiros países a comemorá-las foram França, Itália, Espanha e Portugal.

Os jesuítas portugueses são os responsáveis pela tradição das festas joaninas aqui no Brasil. As festas de Santo Antônio e de São Pedro só começaram a ser comemoradas mais tarde, mas como também aconteciam em junho, passaram a ser chamadas de juninas.

As mais tradicionais e conhecidas festas juninas do Brasil acontecem em Campina Grande (PB) e em Caruaru (PE). Na primeira, a festa é conhecida como "O maior São João do mundo", principalmente pela culinária junina.
Assim como o milho, outros ingredientes e receitas só aparecem na nossa mesa nesta época do ano. Pé-de-moleque, bolo de mandioca, arroz doce, canjica e pamonha são alguns pratos conhecidos. O milho assado ou cozido também é muito apreciado.

Não se sabe ao certo a origem de alguns pratos. A pamonha foi trazida pelos escravos africanos. Esse prato delicioso da culinária junina leva milho ralado com leite e açúcar, ou sal, formando um caldo grosso. Como nada se perde, tudo se transforma, a pamonha é servida na própria palha do milho, em forma de saquinho. Além de original, a embalagem chama a atenção pela beleza. Acredita-se que a origem da canjica também tenha vindo com os escravos assim como o cuzcuz e outras receitas de milho.

Herança africana com o tempeiro brasileiro. Assim podemos definir a culinária junina. Que preenche as nossas mesas de delícias nesta época tão especial do ano.

Veja abaixo outras curiosidades sobre o São João:

O arraial

O espaço onde se reúnem todos os festejos do período é chamado de arraial ou, segundo o modo de falar do homem do campo (o caipira), "arraiá". Geralmente é decorado com bandeirinhas de papel colorido, balões e palha de coqueiro. Nos arraiais acontecem as quadrilhas, os forrós (bailes), leilões, bingos e os casamentos caipiras.

A quadrilha


A quadrilha é uma dança de pares, de origem francesa, introduzida no Brasil em 1808 pela corte portuguesa, que se instalou no Rio de Janeiro. A formação tem de 8 a 12 casais. Em geral, é acompanhada por instrumentos típicos da época, como sanfona, triângulo e zabumba. O ritmo alegre foi incorporado pelas populações rurais e hoje é dança obrigatória nas festas juninas. Só que a marcação das suas evoluções, que nos salões era pronunciada em francês, ganhou um sabor bem matuto, como "Caminho da roça" e "Olha a onça", inspirando-se no dia-a-dia do campo.

Fogueira e Fogos


Há duas explicações para o uso de fogueiras. Os pagãos acreditavam que elas espantavam os maus espíritos. Os cristãos, por sua vez, as viam como sinal de bom presságio. Prova é a história de Isabel que, na ocasião do nascimento de João Batista, acendeu uma fogueira para avisar a novidade à prima Maria, mãe de Jesus. Por isso, a tradição é acendê-la na hora da Ave Maria (6 horas da tarde). Já os fogos de artifício, eram utilizados na celebração para "despertar" São João e chamá-lo para as comemorações de seu aniversário.

Os santos da festa:

Santo Antônio (13 de junho)

Santo Antônio é chamado de Santo Casamenteiro. Muitas pessoas fazem promessas a ele para conseguir se casar. Dizem até que algumas mulheres colocam a imagem do santo de cabeça para baixo como forma de forçá-lo a arranjar um marido o mais rápido possível. Santo Antônio foi um padre que viveu no século XII e morreu muito jovem. Ele teria ficado famoso ajudando as donzelas a conseguir o dote, bens exigidos para que o casamento fosse realizado.

São João (24 de junho)

São João era filho de Isabel, prima de Maria (mãe de Jesus). De acordo com a igreja católica, foi por milagre que ela e Zacarias, já com idade avançada, geraram um filho. Quando adulto, São João preparou a vinda de Cristo e batizou-o no rio Jordão.

São Pedro (29 de junho)

São Pedro tem as chaves do céu. Como foi um dos pescadores que se tornou discípulo de Jesus, é o santo padroeiro dos pescadores. Dizem que foi viúvo; então ele é também o santo cultuado pelas viúvas. São Pedro é conhecido como o fundador da Igreja católica, o primeiro papa. Jesus teria dito: "Tu és Pedro (pedra) e sobre esta pedra construirei minha igreja".

 

Receita pamonha

Especial comida mineira


subir