Stand-up Comedy chega à cidade
Ultrapassando as fronteiras do país e da Internet, o humor de cara limpa se apresenta

Nathália Alberto
ºperíodo de Jornalismo

Chove forte, o vento frio arrepia os cabelos. O chão está começando a ficar molhado. A lona branca que compõe o camarim balança bruscamente. A equipe de produção corre para manter todos os instrumentos fora do alcance da água. No meio de todo esse alvoroço, Breno Rafael Martins Parreira Rodrigues Rezende, sentado em sua cadeira de plástico branca, segue sua seqüência de pó, blush, lápis, rímel e batom. Breno lentamente vai se transformando em Cazsandra, sua personagem de stand-up comedy.

Quando Cazsandra finalmente fica pronta, de salto alto, meia calça preta, maquilagem extravagante, cabelo verde, uma saia longa estampada e uma jaqueta, a chuva já havia dado trégua.
Nem o barulho de uma banda alternativa que tocava na praça atrapalhava a concentração do ator antes de subir no palco do Prévias Encontro Novas Tendências de Uberaba.

O evento aconteceu no sábado, 19 de setembro. O show de stand-up comedy é uma rápida montagem teatral do gênero humor, feita por um comediante em pé, sem apoio de um cenário ou texto decorado. É muito conhecido como humor de cara limpa, em que o comediante cria suas piadas de acordo com suas próprias fraquezas, fazendo graça sobre sua aparência ou dificuldade. Um bom comediante de stand-up consegue improvisar piadas no momento de sua apresentação, zombando de coisas que estão acontecendo a sua volta, envolvendo o público no show dele.

Breno está no teatro há 10 anos, faz parte da Cia. Bachianas de Teatro e começou a trabalhar stand-up através de vídeos na internet. Cazsandra surgiu assim que ele conheceu o estilo. “Foi uma brincadeira. Estava num bar com uns amigos, comecei a fazer graça fingindo ser uma orientadora sexual. Foi engraçado e espontâneo. Todo mundo riu”, lembra Breno. Depois desse dia, ele começou a desenvolver a personagem, criou o nome e a identidade de Cazsandra. “É uma apresentadora de TV esnobe. A fama subiu à cabeça e ela se sente a estrela. Fala de sexo e explica detalhes que ninguém discute. Só que do jeito dela. É louca”, explica Breno rindo da personagem.

Quando Cazsandra aparece, gritos e assobios surgem da platéia. Ela inicia ensinando a galera a colocar uma camisinha de forma segura, utilizando uma banana. Ela tira as dúvidas da plateia e se despede, depois de arrancar boas risadas.
“O objetivo do Festival de Novas Tendências é mostrar os vários tipos de arte, por isso,convidei o Breno. Ele está trabalhando numa coisa nova e é muito bom nisso”, declara Letícia Rezende, organizadora do evento.
Do público que assistiu a apresentação surgiram diferentes comentários, como o de Kate Árabe, atriz e produtora: “Fiquei muito surpresa de ver isso em Uberaba! Achei a intervenção super pertinente com o evento”.

Já o produtor e diretor, Ari Morais considerou que Breno tem um material muito bom, tem muito potencial, mas foi superficial. “Faltou alguma coisa, agora que ele desceu do palco, já nem lembro dele mais”. Para a estudante Cristiane Lindeza, a apresentação foi legal. “Ele foi bem versátil, comunicativo, e bastante extravagante. Adorei!”

O sucesso de Fábio Rabin
O stand-up comedy é um estilo de humor que já é explorado nos Estados Unidos, desde o final do século 19. Na época, esses comediantes eram considerados “contadores de piada” que entretinham o público nos intervalos dos espetáculos. O estilo foi introduzido no Brasil por José Vasconcelos, na década de 60, mas foi pela Internet que os comediantes conseguiram destaque. Vídeos de stand-up estão direto na lista dos mais acessados do Youtube. Foi lá que encontramos Fábio Rabin, ator desde 2002, comediante há mais de quatro anos. Ele já trabalhou no Pânico na TV, fez campanha para a ESPN Brasil, trabalhou em shows como Cabaré do Diogo Portugal, e, agora, está na MTV ao lado de Marcelo Adnet e Daniela Calabresa.

Para ele, as pessoas no Brasil estão amando o stand-up porque se divertem de verdade conhecendo piadas inéditas e se identificam com elas. “Ao contrário de zoar um português ou uma loira, falo de mim mesmo e de coisas mais humanas. A identificação é um tiro certo e o stand-up nunca pára na medida que evoluímos”, explica.

Aos 27 anos, ele possui vários personagens, Péricles, Hitler, Johny Marola, Gordão, Mano White, dentre outros. Para aqueles que querem trabalhar o stand-up profissionalmente, Fábio dá a dica: “Seja original. Vá devagar. não queira cobrar uma fortuna para apresentar um show amador.
Respeite o público! Descubra se tem talento para a coisa, com o público e não com seus pais. E não desista nunca!”
Curso de Comunicação Social/Universidade de Uberaba - 2009