Rock independente desafia dificuldades rumo ao reconhecimento

Alex Batista Rocha
4° período de Jornalismo
Na estante Prêmios e indicações das bandas:
• Granvizir: Prêmio Mineiroda Música Independente 2008 (Belo Horizonte) - categoria regional e indicada à revelação estadual. Vencedora do Concurso Pop Rock 2009, prêmio quegarantiu à banda apresentação no Triângulo Music em Uberlândia – Eles tocaram no dia 6 de novembro, no mesmo dia que Marcelo D2 e Jota Quest.

• Acidogroove: Prêmio Toddy (São Paulo) - categoria banda revelação de 2006. Site especializado em música independentes Senhor F Virtual incluiu a banda entre as dez do país com melhores singles e demos em 2006.
Por aí...
Aos poucos, as bandas ganham espaço:
• Granvizir: Prêmio Mineiro da Música Independente 2008 (Belo Horizonte), 75º Expozebu (Uberaba), Festival GOMA de Música Independente 2009 (Uberlândia), Grito Rock
(América do Sul – Cidade Uberaba)

• Acidogroove: Festival Jambolada (Uberlândia), Festival Marreco (Patos de Minas), Grozelha Fuzz (Ribeirão Preto), Araraquara Rock (Araraquara), Novas Tendências (Uberaba)

• Nekrotério: Athos Pub, Sírio Libanês, Bar do Gaúcho, Salão do Mágico e Maison Blanche (Uberaba), Área 51 (Bauru), Toca do Bilhar (Uberlândia)

Os EPs (espécie de CD Demo, com poucas faixas) lançados e as redes sociais (Myspace, Orkut, Blog, Trama Virtual, entre outros) contribuem para a apresentação das bandas. o Toddy (São Paulo) - categoria banda revelação de 2006. Site especializado em música independentes Senhor F Virtual incluiu a banda entre as dez do país com melhores singles e demos em 2006.

Vontade, atividade, oportunidade, musicalidade e dificuldade. Tais substantivos rimam e produzem o mesmo significado quando o assunto é ter uma banda de rock independente em Uberaba.
O grão-vizir da letra Chão de Giz do cantor Zé Ramalho, foi a inspiração para o nome da banda, após a ideia de gravar músicas próprias que haviam sendo trabalhadas por Rodolpho Cahuí Roood (vocal) e Foster Rodrigues - Abutre (guitarra).

A Granvizir teve início em 2007 e os ensaios e estudos musicais aconteciam de segunda a sexta na casa do ex-baterista Nathan, hoje substituído por Marcelo Lima. A banda também conta com Mateus Graffunder - Garfield (guitarra) e Carlos Pechiori - Tico (baixo).

Os integrantes dizem que um dos problemas enfrentados pelo grupo é a falta de investimento necessário para se ter material independente em nível de mercado. “As dificuldades sempre existiram e vão existir, mas soubemos superar todas trabalhando muito e correndo atrás”, conclui Rod, que também cita a importância do apoio da família. Os ensaios antes realizados na casa de Nathan continuam de segunda a sexta, só que agora no estúdio e também escritório da banda. Na casa, a banda se mantém sempre em movimento, num dia-a-dia considerado por eles muito corrido. “Somos nossos próprios produtores, então vamos atrás de shows, projetos, festivais, fazemos nossas artes, divulgação e manutenção de todos os endereços da internet”, concluem.

O reflexo do trabalho surge forte. Depois de um EP lançado em 2008, a Granvizir foi convidada pelo coletivo cultural de Uberaba, Megalozebu, para integrar a coletânea do Circuito Fora do Eixo, forte aliado das bandas brasileiras independentes. A música escolhida foi “Beneficiam Quem?”. Além deste reconhecimento, a música Sonhos na Mochila integra a programação da rádio Sete Colinas FM, líder em audiência no estilo pop rock em Uberaba.

Tantas conquistas são vistas como incentivo para trabalhar mais. Recentemente, assinaram com o selo da gravadora SHStudio, e se apresentaram no Triângulo Music 2009 (maior festival de música do Triângulo Mineiro). Ao mesmo tempo, o grupo finaliza um álbum de 13 faixas e um clipe para lançamento em 2010, junto com uma turnê.

Outra banda que também está na estrada pela vontade de fazer rock de seus integrantes é a Acidogroove. Com quatro anos de existência, foi batizada pela acidez das músicas, e conta atualmente com Fred Pinheiro (vocal e guitarra), Guilherme Brasil (guitarra e vocal), Fabiano de Paulo (baixo e vocal) e Pi Carpinelli (baterista convidado). Os garotos conseguiram a partir do EP de três faixas inserir a banda entre as 14 que mais chamaram atenção da equipe Trama Virtual, em 2007.

Em 2008, o grupo participou da coletânea do álbum Branco dos Beatles, organizado por Marcelo Froes. O projeto que será lançado em duas etapas, também contou com a participação de Zé Ramalho, Pato Fu e Erasmo Carlos.

Atualmente, a banda trabalha em parceria com o selo Gravadora Discos e terá parte da turnê financiada pela produtora Sapólio Rádio.

A banda se sustenta com o dinheiro da música e com o que Fred recebe como empresário, Guilherme como gerente de vendas e Fabiano como publicitário.

A Acidogroove sempre ensaiou na casa de Guilherme, que transformou o local em um estúdio. Os ensaios ocorrem quatro vezes por semana. Fred diz que sempre focam a criação e a busca de formas de execução do repertório, visando a satisfazer todos integrantes. A banda prepara álbum com nove faixas ainda para este ano, e tem como projeto para o ano que vem a abertura do estúdio ao público, com o intuito de mostrar a realidade dos ensaios e estreitar a relação com os fãs.
Entre as dificuldades ponderadas por Fred está a falta de tempo para dedicar-se integralmente à banda e também a problemática da cultura local. “A cidade prefere ridicularizar o novo e diferente ao invés de se propor a conhecê-lo. Você não pode exigir que uma sociedade acostumada com um modelo de normalidade acomodada passe a acreditar num modelo de ‘anormalidade’ ativa”.

Fazer música diferenciada também é o objetivo da banda Nekrotério, em ação desde 2005. Os integrantes Allan Snipher (guitarra e vocal), Speed Freak (baixo e vocal) e Rodrigo Costella (bateria) apresentam um som pesado, fora do convencional. Pelo estilo, surgiram problemas, como a implicância dos vizinhos durante os ensaios e até ordem para interromper as apresentações em função do barulho.

O trio garante que o som independente não é sinônimo de amadorismo. Para eles, a dificuldade é fazer as pessoas conhecerem o som, o que está relacionado com encontrar espaço para tocar. “Amem ou odeiem, a gente toca do mesmo jeito”, rebelam-se.
A paixão pela música é tanta que Speed tem um projeto de rap chamado Speed-Yo, Rodrigo toca também na banda de black music Soul n’ Farm e Allan atua no projeto solo de grind-core eletrônico chamado Pinto Sujo. Com a correria, a Nekrotério geralmente ensaia aos sábados na casa dos integrantes.

Todos se sacrificam para bancar o sonho de ser reconhecido. Speed é designer gráfico, Rodrigo, funcionário de uma loja de instrumentos musicais, e Allan, estudante. Parece valer a pena.

A demo Contos do Nekrotério, resultado da fusão de Punk, Rock e Psychobilly, foi lançada em 2005. O EP Beberei a noite inteira o seu sangue geladão, veio três anos depois e o álbum que a banda gravou recentemente só não saiu porque ainda falta verba para a prensagem e a distribuição.

A maior aliada das bandas independentes é a Internet. Por meio da rede acontece a divulgação não só das músicas, mas das datas de
apresentação.
Curso de Comunicação Social/Universidade de Uberaba - 2009